terça-feira , 23 Janeiro 2018
Vaga-lume, o inseto transmissor da doença

Chega a 10 nº de casos de doença de chagas em Lábrea, AM  e afeta a economia do município

Lábrea, AM – A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) confirmou mais três casos de Doença de Chagas no Amazonas, nesta sexta-feira (12). Com isso, chega a 10 o número de pessoas que contraíram a doença no município de Lábrea,  desde o primeiro diagnóstico, registrado eem 29 de dezembro.

De acordo com a Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), os três pacientes já estavam sendo acompanhados pelos profissionais da instituição, por terem ingerido o mesmo açaí consumido pelos pacientes com diagnóstico já confirmado.

Do total de casos, apenas uma pessoa esteve internada. Os médicos optaram por mantê-la no hospital por se tratar de uma criança, que já recebeu alta.

O açaí, sendo preparado para virar suco

Quatro pacientes estão fazendo tratamento ambulatorial com profissionais da FMT-HVD e seis estão em Lábrea. Em Manaus, todos os pacientes passaram por consultas e avaliações no Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM) e na FMT. Os demais pacientes são acompanhados pelo Hospital Regional de Lábrea.

Contaminação do açaí

Uma análise preliminar da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) constatou que os casos de doença de chagas ocorreram por contaminação do açaí.

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam), por meio da FVS, reforçou o pedido para que a população tome os cuidados necessários na hora de preparar e consumir os produtos.

Ações em Lábrea

O açaí no cacho, ond os insetos podem facilmente se infiltrem

Um dos trabalhos feitos em Lábrea pelas autoridades de saúde do Estado e do município é o rastreamento de todas as pessoas que tomaram o açaí da mesma procedência dos infectados pela doença.

A Susam informa, também, que Lábrea está abastecida com a medicação necessária para o tratamento da doença, e os profissionais de saúde foram orientados para ficarem em alerta para qualquer caso suspeito.

A FVS tem uma cartilha de orientação aos produtores de açaí e demais produtos da floresta com relação às boas práticas de higiene. O material está sendo distribuído nos locais de produção dos alimentos, que também estão sendo catalogados.

Sintomas

Os sintomas da Doença de Chagas são parecidos com o da Malária: febre alta, calafrio, dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, enjoo e vômito. “É muito parecido com o quadro da Malária. Tanto é que, praticamente, quem dá o diagnóstico de Doença de Chagas acaba sendo o microscopista da Malária”, explica Bernardino.

O diagnóstico precoce e o tratamento imediato previnem as formas crônicas da doença e a ocorrência de óbitos.

Economia atingida

E finalmente, o saboroso suco ou vinho como é conhecido na região

A doença que pode ter sido  transmitida  pelo popular vaga-lume, inseto  que vive em palmeiras e no caso do açaí, ele poderá está nos cachos do fruto do  açaizeiros, que poderá, se moído por acaso e misturado ao vinho, gera  a transmissão da doença que ocorre com as fezes do inseto.

Esse fato, vem  castigando duramente uma das maiores  fontes econômicas do município, considerando que com o surgimento da doença, a venda do saboroso suco, originário da Amazônia,  suco do açaí na cidade de Lábrea caiu assustadoramente as vendas e os produtores e comerciantes do suco já estão somando grandes prejuízos.

Amazonianqrede-FVS

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by keepvid themefull earn money