terça-feira , 19 setembro 2017

Governo disponibiliza prédio da zona Leste para abrigar venezuelanos

Manaus, AM Os refugiados venezuelanos que estão vivendo  de maneira sub-humana em Manaus, morando nas ruas, debaixo de viadutos e em frente a rodoviária de Manaus,  nas ruas, rodoviária e, esmolando nas ruas para conseguir pelos menos alimentos , vão melhorar um pouco  de vida, dentro de poucos dias, segundo decisão anunciada pelo governador interno do Amazonas, David Almeida.

Segundo David, m prédio com sete salas na Zona Leste de Manaus deve ser disponibilizado para abrigar os indígenas venezuelanos da etnia Warao, anunciou o governador em exercício do Amazonas, David Almeida, nesta terça-feira (16). A medida faz parte de um plano emergencial de ajuda humanitária aos indígenas.

No prédio que funcionava um projeto social do governo chamado Projeto Cidadão, no bairro Coroado, será disponibilizado para abrigar os indigenas venezuelanos que estão no viaduto próximo à Rodoviária da capital.

“São sete salas com banheiros, quadra coberta e essas pessoas serão transferidas para lá em uma parceria com a Prefeitura de Manaus. Temos recursos de R$ 205 mil sob análise no Conselho Municipal de Assistência Social e que, caso aprovados, serão repassados para a Prefeitura e as tratativas finais para isso serão feitas com as lideranças dos indigenas venezuelanos”, disse o Governador.

Abrigo com segurança

O local que servirá de abrigo ainda passa por aluns consertos

Durante a visita, Almeida conversou com pajés da etinia Warao e propôs que fossem abrigados no prédio. Segundo o pajé Anibal Perez, os indígenas aceitaram a proposta.

“Ele nos ofereceu um abrigo que será como um refúgio para nós, com segurança, alimento. Já recebíamos ajuda por parte da sociedade civil e isso nos ajuda a continuar. Estamos muito agradecidos da ajuda que estão nos oferecendo neste momento”, comentou o pajé.

Conforme Almeida, ajustes devem ser feitos no prédio a partir de quarta-feira (16), para que se adeque para receber os indígenas venezuelanos. “Precisamos fazer modificações lá para adequá-los neste momento tão difícil por qual passam nossos irmãos venezuelanos, dentro de um cronograma para que os tiremos daqui em, no máximo, dois dias”, afirmou o governador.

Segundo a secretária da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Graça Prola, o prédio foi depredado por estar fechado por um longo tempo. Para isso, as reformas e adaptações devem ser feitas no local.

Reparos emergenciais

O governador David Almeida, visitou o prédio e constatou que soment dentro de alguns dias os venezuelanos terão condições de ocupar o esaço, face algumas providneicias que já comeam a ser tomadas pelo Govenro do Estado,

Entre essas providencias estão alguns pequenos trabalhos emergenciais considerando que o prédio estava fechado e alguma coisa precisa ser restaurada para que os refugiados venezuelanos passam ocupar o espaço como abrigo, o que deverá em torno de uns dez dias.

Amazonianarede

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by keepvid themefull earn money